#Ela Repórter - Thaís Leite

Para encerrar a nossa série de posts em celebração ao Dia do Repórter, vamos hoje conhecer a história da Thaís Leite, uma repórter jovem que tem feito a diferença no maior jornal da região, OVALE.


Thaís se formou há pouco tempo, mas já acumula uma vasta experiência com reportagem e hard news. É uma grande parceira das assessorias e muito aberta à troca de ideias.



Foto: Jade Ribeiro


Zan: Há quanto tempo atua como repórter?


Thaís: Comecei minha trajetória como repórter há dois anos.


Zan: Como soube que essa era a sua profissão?


Thaís: O jornalismo tem várias áreas apaixonantes, mas desde o início da faculdade as redações sempre foram para onde meus olhos brilhavam mais. A responsabilidade social da profissão, o ofício de fiscalização e aquele velho -- e sempre válido -- clichê do jornalista poder dar voz àqueles que não são ouvidos, me conquistaram e conquistam todos os dias.


Zan: Conte um pouco mais da sua trajetória


Thaís: Eu me formei na Unitau (Universidade de Taubaté), sou da turma de 2015-2018. Meu primeiro estágio foi na assessoria de imprensa da Prefeitura de São José dos Campos, onde fiquei do início de 2016 até o primeiro quadrimestre de 2017. De lá, segui para a Fundação Cultural Cassiano Ricardo, também para atuar com assessoria. Em 2018, tive a oportunidade de iniciar meu estágio no jornal OVALE, onde estou até hoje.


Zan: Quais são os maiores desafios da área e como você a vê na região?


Thaís: Sinto que embora existam poucos veículos em comparação a uma capital, as salas de aula permanecem cheias de pessoas que almejam a profissão. Desta forma, vejo como um privilégio poder exercer o que eu realmente gosto. Acredito que os maiores desafios talvez estejam na desvalorização da profissão por aqueles que desconhecem a importância do noticiamento dos fatos, o que acaba prejudicando o andamento de uma reportagem -- tanto em questão de tempo, como de qualidade.

24 visualizações

© 2020 Zan Comunicação - Todos os direitos reservados.